CREF9/PR - Telefone0800 643 2667 • (41) 3363-8388

Dirigentes da Educação Física se reúnem com parlamentares e sociedade para definir legados dos Jogos Olímpicos


27/11/2012

Dirigentes da Educação Física se reúnem com parlamentares e sociedade para definir legados dos Jogos Olímpicos



Aconteceu neste sábado, 24 de novembro, a audiência pública "Ciclo Olímpico Brasileiro com Legados Sócio-Educacionais", para que se aproveite este "tsunami esportivo" que passará pelo Brasil, com a realização da Copa do Mundo em 2014 e das Olimpíadas em 2016, de forma a deixar não somente grandes obras de infra-estrutura (aeroportos, estádios, etc.), mas sim benefícios reais para diversos setores da sociedade brasileira, alavancando a qualidade de vida da população, a economia, a saúde, a prática de esportes, a educação, ou seja, os legados sócio-educacionais. O evento aconteceu no auditório da OAB-PR e contou com a participação de representantes de diversos setores da sociedade: secretários estaduais e municipais, Conselhos Federal e Regional de Educação Física, OAB-PR, Professores Universitários, Profissionais de Educação Física e parlamentares, destacando a presença do Deputado Federal João Arruda, presidente da Frente Parlamentar da Atividade Física para Desenvolvimento Humano. "Que a sociedade reconheça o Profissional de Educação Física como protagonista do Esporte. E não só em sua prática, mas também na estratégia do papel do Esporte na sociedade", disse o Presidente do CONFEF, Jorge Steinhilber, destacando que a Educação Física tem um papel central na realização dos Jogos Olímpicos no Brasil. É esta categoria de profissionais que está mais bem preparada para utilizar a ferramenta da competição esportiva, como forma de gerar benefícios para a população, como: - incentivar a prática de esportes e atividades físicas - promover valores na sociedade, como cooperação, trabalho em equipe, autoestima, superação, saúde, e que são a essência do verdadeiro espírito olímpico. - educar o Ser Humano através do esporte e da atividade física. Fato importantí­ssimo a ser levado em conta está no relatório oficial realizado após as Olimpíadas de Londres, este ano, onde os ingleses apontam que houve falha na estratégia. O objetivo deles era que os Jogos estimulassem a prática de esportes pela população e isso não ocorreu. A conclusão foi que "a simples realização dos Jogos Olímpicos, ou ser campeão dos Jogos, não garante o desenvolvimento do Espírito Olímpico ou a Educação Olímpica". Lembramos também que o turismo na Inglaterra caiu durante o período olímpico. "É necessário mudar a forma como o governo trata o esporte, ter uma fala mais abrangente", mostrando que é preciso usar o esporte como ferramenta sócio-educacional" declara o representante da Secretaria de esportes do Estado do Paraná, José Alberto Campos. Podemos alavancar o turismo, a economia, a educação física escolar, melhorar o rendimento em outras disciplinas escolares, e muitos outros setores da sociedade. Tudo depende de ser planejado antes, com diálogo e foco nos legados tangíveis e intangíveis que podem ser obtidos. "Sucesso no Esporte é sair de casa e ver as pessoas praticando esporte", diz o deputado João Arruda comparando com a equívoca medida em usar o quadro de medalhas para medir quem ganha as olimpíadas, o que já é contrário ao espírito olímpico. Comenta também "os Estados Unidos, o maior país medalhista há décadas, é o maior campeão em obesidade". O Presidente do CREF9/PR, Prof. Antonio Eduardo Branco, ressaltou que a política anunciada pelo Governo Federal para melhorarmos nossa posição no quadro de medalhas é inadequada pois apoia financeiramente os esportes que já estão sendo patrocinados no país, não haverá tempo em 4 anos para melhorar tanto o nível técnico dos atletas até os Jogos e, principalmente, não privilegia os legados sócio-educacionais que é o que realmente interessa para o povo brasileiro. O Brasil pode ser um grande campeão das Olimpíadas. Podemos mostrar ao mundo o verdadeiro espírito olímpico, resgatando valores originais dos Jogos, mostrando ao mundo que nosso povo está praticando mais atividade física, mostrando como a atividade física melhora o rendimento escolar, como a atividade pode resgatar pessoas e melhorar a saúde e a qualidade de vida. Mostrar ao mundo que estamos gastando menos no ambiente triste dos hospitais e que estamos felizes praticando esporte e rendendo mais no trabalho e na escola. A principal ferramenta desta mudança, agora na ocasião dos megaeventos esportivos, somos nós profissionais de Educação Física. Vamos conscientizar as pessoas e cumprir nossa missão. Vamos nos imbuir do espírito olímpico e com superação, esforço e união e aproveitar esta grande oportunidade que já está acontecendo. Se o Brasil levantar esta bandeira seremos admirados pelo mundo e teremos maior qualidade de vida, com legados sócio-educacionais, econômicos permanentes e esta onda não terá passado em vão.

Em tempo, o Deputado João Arruda após o almoço teve um encontro com representantes das academias de todo o Estado para embasar melhor a emenda de projeto que está colocando em votação para produzir benefícios a toda a comunidade e academias.
[gallery link="file" columns="4"] .