CREF9/PR - Telefone0800 643 2667 • (41) 3363-8388

Os riscos de atividades físicas prescritas por blogueiros e aplicativos


23/03/2017Artigos

Fácil acesso a informação esconde perigos em planos de exercícios que não são adequados para todos os indivíduos


O acesso a informação só cresceu nos últimos anos. Hoje é possível pesquisar um assunto, compartilhar notícias em tempo real, transmitir informações e comentar algo. Qualquer aparelho telefônico dá acesso a uma imensidão de conteúdo, seja nas redes sociais, em sites especializados ou em aplicativos.

A mudança nas formas de comunicar e compartilhar informações transformou as relações sociais. Cada vez mais indivíduos têm a possibilidade de criar e difundir conteúdo, podendo lucrar com isso. A forma de consumir televisão, de se localizar, de se locomover e de conseguir algum serviço mudou.

Quando surge um problema ou desejamos aprender a fazer alguma coisa, logo recorremos a internet. Bastam poucos cliques para que surjam vídeos, tutoriais passo a passo ou receitas para aprender algo. A facilidade esconde um perigo: até que ponto o conteúdo exposto nas diversas telas é efetivo ou seguro para quem está consumindo e reproduzindo o que foi ensinado.

A questão fica ainda mais séria quando se trata de saúde. A corrida pelo “corpo perfeito” leva centenas de pessoas a recorrerem a treinos e exercícios criados por influenciadores digitais e aplicativos. Com base no discurso “no pain, no gain” (sem dor, sem ganho) ou em receitas mágicas envolvendo dietas e séries de exercício pesado, os vídeos promovem um culto ao corpo que cultiva as pessoas e atrai patrocinadores.

Não são poucos os casos de lesões a curto ou longo prazo, exercícios que oferecem riscos a quem realiza e suplementação ou dietas prescritas por blogueiras fitness e fisiculturistas de internet.

Seguir estes modelos oferece perigos por diversas razões, mas principalmente por não existir a garantia de que quem transmite o conteúdo tem conhecimento técnico sobre o assunto. Um corpo em forma, com músculos saltados, não deve ser considerado sinônimo de conhecimento, são horas de academia, alimentação e treinamentos que funcionaram para ela, mas não garantem funcionar para todos.

O saber empírico jamais substituirá o embasamento teórico necessário para atender terceiros. Sempre se deve procurar o profissional indicado para cada função, somente ele tem conhecimento do que pode ser feito ou não em cada caso específico. No caso de exercícios, treinamentos e atividades físicas ou desportivas esse Profissional é o de Educação Física. Não somente por estas atividades serem de prerrogativa do Profissional de Educação Física e asseguradas pela Lei Federal nº 9696/98, mas por serem os únicos profissionais que estudam a biomecânica dos exercícios, como eles interagem com o corpo e o que funciona para que o indivíduo que alcance seus objetivos.

Para se realizar atividade física de forma segura é importante ser orientado por um Profissional de Educação Física que, através da Avaliação Física, buscará minimizar a possibilidade de agravar lesões ou problemas musculares e prescrever o treinamento necessário para cada objetivo. O mesmo vale para as dietas e suplementações, onde se deve procurar um nutricionistas, ou para tratamento e reabilitação de lesões, onde se deve procurar um fisioterapeuta.

Quando se trata da sua saúde, não troque o Profissional adequado pelos cliques no computador ou celular. Ao abrir mão do conhecimento de quem realmente entende você pode no melhor dos casos estar perdendo tempo e dinheiro, e no pior colocando sua saúde em risco.

Mais importante ainda, se você ver qualquer pessoa não habilitada a prescrever ou ministrar exercícios ou aulas envolvendo atividade física, ou em desacordo com a Lei Federal nº 9696/98, denuncie ao CREF9/PR através da Ouvidoria CREF9/PR. Isso vai desde os blogs fitness até leigos se passando por Profissionais em Academias. Nos ajude a combater o Exercício Ilegal da Profissão e a lutar por uma sociedade mais saudável e sem risco.